Narrativas imateriais

Jornada da Cerâmica com Israel Kislansky, promovida pela Bel Lar, aborda tema fundamental para entender passado e futuro da humanidade

Insta: Bel Lar Casa ContemporâneaIsrael Kislansky

Prática de todas as sociedades, incessantemente desde a pré-história, a cerâmica é apresentada como instrumento de registro e narração não apenas da história da arte como da própria história da humanidade. E segue adaptada às novas narrativas e às novas formas de comunicação na atualidade.

Considerada talvez como a mais antiga das matérias-primas utilizadas pelo homem, a cerâmica é um dos símbolos das primeiras manifestações da racionalidade – projetar, processar e atribuir função prática ou simbólica – cujos registros datam de 29 a 25 mil anos. Caso da mais antiga estatueta de cerâmica (terracota) já encontrada, a Vênus de Dolní Vestonice (descoberta em 1922 na República Tcheca).

Na Croácia, foram encontradas pequenas esculturas de animais com mais de 17 mil e 500 anos de idade, ou seja, antes mesmo do homem deixar seus hábitos nômades ou de cultivar a terra em territórios fixos.

Hoje, desde as artes até as próteses para implante, a cerâmica é um dos materiais que melhor se adaptam à modelagem em avançadíssimas impressoras 3D. Apesar de todas estas peculiaridades, curiosamente a cerâmica como técnica artística ainda responde, sob alguns olhares especializados da crítica, pela discriminação sofrida desde meados do século XIX, com a origem das escolas de Belas Artes, que a classifica como “arte menor” ou “arte aplicada”.

Pausa para o mundo contemporâneo

Há cerca de 10 anos, o chinês Ai Weiwei foi aclamado como o artista mais influente do mundo pela revista europeia ArtReview. Ele é um exemplo vivo da atualização das linguagens plásticas para as narrativas contemporâneas. Sua cerâmica, por exemplo, grita assumindo um idioma comum a todas as sociedades. 

Por isso, ao escolher esse material como linguagem artística contemporânea, artistas como Ai Weiwei revigoram o papel da cerâmica como agente emissor das narrativas históricas. Afinal, estamos falando de um material cuja história se confunde com a própria história da humanidade e segue adaptada ao futuro.

A cerâmica percorreu toda a história da arte, resistindo às várias tendências e às diferentes escolas e gostos, mantendo-se presente em praticamente todas as partes do mundo. Até hoje atende com precisão e eficiência tanto às manufaturas mais rudimentares até à alta tecnologia e às mais avançadas tendências do design.

Entender esse processo é fazer uma viagem que vai da nossa ancestralidade até o que ainda virá. Por isso a importância de um trabalho como o Jornada da Cerâmica Bel Lar com Israel Kislansky, que hoje realiza seu último encontro online, às 19h30, fazendo um passeio pelas culturas da Índia, China e Japão. A gente já está com saudade.

SERVIÇO

Dia 5 de agosto, às 19h30

Vagas limitadas pelo ZOOM. Para se inscrever, CLIQUE AQUI

DESTAQUES

Ouça nossas playlist em

LEIA MAIS

Mistura Fina

Projeto do escritório Casa Tereze para apartamento em São Conrado, no Rio, une a bossa carioca com a alma mineira

Arte entre muitas camadas

Ana Claudia Almeida impacta tanto com a solidez quanto fluidez de seus trabalhos, sucesso em galerias brasileiras e no exterior

Presente imperativo

A demanda de construir uma casa em tempo mínimo não impediu ao escritório Bloco Arquitetos, de Brasília, de superar expectativas

plugins premium WordPress