Força e leveza

Casa de concreto, projeto de Ângela Roldão concluído em 2022 une beleza e funcionalidade a elemento que surpreende com poesia

Insta: ANGELA ROLDÃO

Certa vez, em uma entrevista para o programa Roda Viva, em 1997, Oscar Niemeyer comentou ter gostado muito de algo que havia lido do poeta francês Charles Bauledaire, que disse que o caracteriza a beleza é o espanto, é a coisa nova. “Quando não há algo novo, é sempre algo repetido, que não gera muito interesse”, concluiu Niemeyer, que não era muito ligado a citações.

A Casa de Concreto, assinada pela arquiteta mineira Ângela Roldão, impressiona pela forma sucinta de sua arquitetura para um projeto residencial bonito e funcional, a partir da estrutura simples e racional do concreto aparente. E há também o elemento de espanto e surpresa, que faz dela uma casa única. É que durante o processo de construção, optou-se pela manutenção dos furos remanescentes da concretagem das paredes. “Esses furos completaram a composição das estruturas de concreto moldadas in loco e trouxeram uma iluminação natural cênica, através de pequenos pontos de luz”, comenta a arquiteta.

Situada em um condomínio rodeado pela natureza, no município de Nova Lima – MG, a casa foi projetada como uma caixa de concreto e vidro e é a permeabilidade visual dos fechamentos em vidro, mediados pelo conjunto de persianas que proporcionam diferentes gradações de privacidade, possibilitando o compartilhamento com a rua da vista privilegiada da casa.

A residência funciona praticamente no andar de cima, como se fosse um amplo apartamento. O acesso se faz pela escada do hall de entrada, com pé direito duplo, o qual é introduzido por um pórtico sobre uma grande porta pivotante. Para a arquiteta é aí que se resume todo o conceito do projeto, ao misturar ao poético jogo de luz e sombra um clima de singeleza, força e algo simbólico, traduzido na imagem tailandesa que dá boas vindas.

É nesse andar que estão as salas de jantar, estar, estar íntimo, lavabo e escritório, ambientes integrados e voltados para a vista privilegiada, complementada por um minucioso projeto paisagístico. Entre as salas, um belo pátio externo central aproxima a natureza com uma jabuticabeira e também com nichos esculpidos na parede, onde uma hortinha de temperos ervem à cozinha.

No mesmo pavimento, um plano de concreto separa a parte íntima da casa, oferecendo privacidade: são três suítes, sendo que a suíte máster se abre em cima da bela paisagem. “A proposta era deixar quarto e sala flutuando sobre o verde do entorno. O importante era fazer com que a arquitetura fosse crua e, ao mesmo tempo, confortável para os moradores usufruírem dos espaços com prazer.

Já no primeiro pavimento ficam os espaços de serviço e lazer, uma sala de TV e uma grande área externa de convívio, onde a piscina foi inteiramente revestida com o porcelanato do piso, transformando-se em um espelho d’água azul cristalino, emoldurado pela Serra do Curral ao fundo.

Paisagismo assinado por Thiers Matos, projeto luminotécnico de Junia Carsalade, parte estrutural e execução Construtora Privilége, peças em madeira, Hermes Ebanesteria, revestimentos Terratile e esquadrias e prateleiras, Cinex Arch / Sumisura.

FOTOS –  JOMAR BRAGANÇA

DESTAQUES

Ouça nossas playlist em

LEIA MAIS

Mistura Fina

Projeto do escritório Casa Tereze para apartamento em São Conrado, no Rio, une a bossa carioca com a alma mineira

Arte entre muitas camadas

Ana Claudia Almeida impacta tanto com a solidez quanto fluidez de seus trabalhos, sucesso em galerias brasileiras e no exterior

Presente imperativo

A demanda de construir uma casa em tempo mínimo não impediu ao escritório Bloco Arquitetos, de Brasília, de superar expectativas

plugins premium WordPress