Encontro de mestres

Requalificada, casa da artista Adriana Varejão, com vista exuberante do Rio de Janeiro, tem projeto original assinado por Oscar Niemeyer

Insta: ADRIANA VAREJÃOSIQUEIRA AZUL ARQUITETURA

O que desperta a atenção ao olharmos para essa casa? Os detalhes instigam e envolvem ainda mais quando se sabe que é um projeto de Oscar Niemeyer, de 1969, com estrutura original preservada e vista para as belezas da Cidade Maravilhosa. Atiça ainda mais a curiosidade saber que, quando a artista Adriana Varejão e o produtor de cinema Pedro Buarque de Hollanda a compraram, sabiam tratar-se de uma ousadia.

Se antes era uma residência com acabamentos e instalações em mau estado e, pior que isso, com intervenções que a descaracterizavam, eles conseguiram, mesmo assim, ver ali a expressão da utopia moderna, com o traço de Niemeyer em espaços generosos e integrados que privilegiam a convivência e a comunhão com a natureza, como Adriana comentou em matéria publicada na Casa Vogue. A proximidade da montanha, afinal, também foi decisiva.

Foram quatro anos de reforma, projeto do escritório Siqueira Azul Arquitetura. Com a intervenção e expansão através da aquisição do terreno ao lado, a paisagem recebeu no seu entorno um jardim com traçados horizontais e verticais e um novo anexo lazer sobre um expressivo plano estendido flutuante entre piscina e jardim. O paisagismo, inclusive, desempenhou papel essencial nesta requalificação. Assinado por Isabel Duprat, ele privilegia espécies nativas, diluindo as fronteiras com o entorno e paisagem.

O complexo é formado por três construções independentes, conectadas por circulações determinadas por passarelas, passagens e escadas necessárias para a integração. As características arquitetônicas internas foram adaptadas, permitindo uma nova forma de apropriação.

Nos blocos principais, a fachada recebeu novos elementos arquitetônicos, como por exemplo, a malha quadrada com particular padronagem em ferro, que permitiu a execução de grandes painéis pivotantes.

No interior, há detalhes que merecem destaque, como a sala de jantar integrada ao jardim de inverno com cadeiras Lucio, de Sergio Rodrigues, e, ao fundo, painel de Adriana Varejão. Na parede, quadros de Antonio Dias (no centro) e Artur Barrio

A artista criou especialmente para o endereço três trabalhos em azulejaria, os dois primeiros, inéditos: um banco no pátio, o painel acima mencionado e uma instalação da obra Panacea Phantastica (exposta no Instituto Inhotim, em Brumadinho, MG) na adega.

Também chama a atenção o anexo encostado na montanha, nos fundos do terreno, onde fica o escritório de Adriana. A escada escultural conduz, primeiramente, a um quarto de hóspedes, que ocupa um vão preexistente na pedra, e, lá no alto, a vista é panorâmica do Jardim Botânico, da Lagoa Rodrigo de Freitas e da linha do mar até as Ilhas Cagarras. Ao todo, uma construção de 595m2 de tirar o fôlego.

FOTO DE CAPA – ANDRÉ NAZARETH

DESTAQUES

Ouça nossas playlist em

LEIA MAIS

Atração e repulsa

Ruídos, exposição da artista Berna Reale, em cartaz no CCBB BH, apresenta um recorte da extensa produção da artista paraense

Muito além dos muros do museu

Série audiovisual Caminhadas, lançada recentemente pela Oficina Francisco Brennand é um convite para uma jornada pela de redescobertas e inspiração

Cheio de graça

Reforma de um apartamento no centro de Belo Horizonte apresenta soluções que conferem uma digital única a todos os ambientes

De bem com a vida

Projeto paisagístico de Flavia D’urso em propriedade no sul da Bahia respeita a natureza e cria um paraíso muito particular.

plugins premium WordPress