Descobrir e incentivar talentos

Prêmio Adriana Adam de Design incorpora o melhor da designer, especialista em: desvendar, veicular e propagar a cultura do projeto

Insta: Prêmio Adriana Adam de Design

Foi em 1989 que os Irmãos Campana lançaram as cadeiras Des-confortáveis, peças em ferro que parecem isso mesmo, desconfortáveis. Elas foram expostas na Nucleon 8, em São Paulo, a grande meca do design contemporâneo na época. A proprietária, a designer Adriana Adam, era o nome por trás de um trabalho arrojado para um mercado que tinha os olhos e o pensamento voltados para os móveis importados.

Antes mesmo do lançamento dos Irmãos Campana, Adriana Adam já havia lançado a coleção Os Modernos Brasileiros, fruto de muita pesquisa e desenvolvimento: eram móveis de Lina Bo Bardi, Flávio de Carvalho, Paulo Mendes da Rocha, Lasar Segall, Warchavchik e John Graz, que demonstravam que a capacidade aliada à ousadia e ao fazer, rompiam as barreiras do status europeu. Sem cópias e com muita inspiração e arte.

Sobre os Irmãos Campana, a partir dali a produção do ateliê rompeu com a produção mais artesanal e iniciou uma nova fase, de peças de mobiliários diferenciados, de fato experimentais, que agradou os críticos e os estudiosos do design de vários países. Como disse a própria Adriana, em texto assinado no Estadão em 2009, “desde então, Fernando e Humberto começaram a vender bem e resolveram caminhar pelas próprias pernas. E voaram alto”.

Seria impossível começar a falar da primeira edição do Prêmio de Design Adriana Adam sem fazer um pequeno recorte de sua história, ainda que mínimo. Ela era uma entusiasta do design. Dedicou sua vida a desvendar, a veicular, a propagar a cultura do projeto. “Ouso dizer que a história do design brasileiro não seria a mesma sem ela. E, por tudo isso, nada mais justo do que perpetuar sua memória por meio do que ela sabia fazer de melhor: descobrir e incentivar talentos”, comenta o arquiteto italiano Gaetano Pesce.

A iniciativa do prêmio foi dele, que é considerado um dos maiores nomes do design mundial ainda em plena atuação. E o objetivo da premiação não reside somente em revelar novos talentos, mas, igualmente, trabalhar por sua inserção nos mercados nacional e internacional, tal como fez Adriana Adam durante seus anos de atuação. Foi Gaetano Pesce também, quem convidou o jornalista e crítico de design Marcelo Lima para ser o curador do prêmio. Marcelo é, provavelmente, um dos profissionais da mídia brasileira de mais longeva e destacada atuação nos segmentos de arquitetura, decoração e design. Além dele, a primeira edição do prêmio tem como parceiros as empresas by Kamy, Itens Collections e Odara.

A abrangência é nacional e a premiação é destinada a universitários e profissionais com até cinco anos de formados. O concurso contará com um corpo de jurados formado por especialistas do Brasil e do exterior, e terá, na originalidade de linguagem, na inovação técnica e no uso de novos materiais critérios decisivos de avaliação.

Além de um prêmio em dinheiro e viagem, o concurso oferecerá aos seus três primeiros colocados a execução de um protótipo, que será conduzido por uma das empresas parceiras. Os itens ainda ganharão uma exposição coletiva, prevista para acontecer durante a 61ª edição do Salone del Mobile, em Milão, na Itália.

Acesse: WWW.PREMIOADRIANAADAMDEDESIGN.COM.BR

DESTAQUES

Ouça nossas playlist em

LEIA MAIS

Atração e repulsa

Ruídos, exposição da artista Berna Reale, em cartaz no CCBB BH, apresenta um recorte da extensa produção da artista paraense

Muito além dos muros do museu

Série audiovisual Caminhadas, lançada recentemente pela Oficina Francisco Brennand é um convite para uma jornada pela de redescobertas e inspiração

Cheio de graça

Reforma de um apartamento no centro de Belo Horizonte apresenta soluções que conferem uma digital única a todos os ambientes

De bem com a vida

Projeto paisagístico de Flavia D’urso em propriedade no sul da Bahia respeita a natureza e cria um paraíso muito particular.

plugins premium WordPress