A arte do essencial

Projeto atemporal do gaúcho Juarez Cruz aposta na dobradinha perfeita do p&B e na arte como estrela de primeira grandeza

Insta: Juarez Cruz

Preto, porque evidencia o essencial. Graças a Coco Chanel, desde 1926 o preto é cor da elegância, simbolizada pelo little black dress. Branco, porque é a cor da transparência absoluta e da transcendência. Preto e branco, juntos, sâo sinônimos de uma dupla imbatível, eternizada por grandes nomes da moda. Yves Saint Laurent e Balenciaga inclusos nessa extensa lista.

No projeto de interiores não é diferente. A dobradinha é uma solução clássica, com um apelo minimalista que tem o poder de deixar qualquer ambiente ousado e, ao mesmo tempo, sofisticado. O preto, quando usado em acessórios, pintura ou móvel de destaque, ressalta pontos específicos e dá o toque de refinamento. Conjugado ao branco, ganha frescor e contemporaneidade e a dupla pode ser aplicada em qualquer ambiente, desde que criem uma sintonia entre si.

É o que nos mostra esse projeto do gaúcho Juarez Cruz, batizado de CASAVINTEECINCO e apresentado na Casa Cor RG de 2019, que não perde a atualidade. São 115m2 de ambiente fluidos e minimalistas, com living e cozinha, quarto, closet e banheiro. O projeto foi todo pensado com a simplicidade de um espaço monocromático, com toques de madeira. Além do piso e dos revestimentos, a escolha do mobiliário segue a mesma linha neutra, variando do preto ao bege. Desenhada por Juarez Cruz, a marcenaria inclui linhas retas e poucos detalhes, criando ambientes leves e contemporâneos. Ao mesmo tempo, Juarez equaliza a necessidade de profundidade e ganho de espaço utilizando o preto com maestria e assim, aumentando a percepção visual do espaço.

Peça central do living, o sofá modulado otimiza o espaço num clima despretensioso, potencializado pelos módulos que permitem diferentes combinações de disposição, adaptando-se à necessidade do momento.

A harmonia dos ambientes ganha nobreza definitiva pela escolha das obras de arte e peças de design, onde Tarsila do Amaral pode conversar com Iberê Camargo e se reunir a outras tantas nobres companhias como Tomie Ohtake, Vasco Prado, Eduardo Haesbaert, Hugo França, Angela Varela e Melina Toffanelo; além de fotografias das artistas Julia Wimmerlin e Fabi Aleixo. Para além da dobradinha do p&B, a real sofisticação desse projeto vem da arte que ele abraça sem cerimônia.

FOTOS: Denilson Machado

PROGRAMA DO DIA

Ouça nossos podcasts para

Ouça nossas playlist em

LEIA MAIS

Ideias vivas

Projeto de Gustavo Penna, atualmente o endereço da 31 Mobiliário, mostra que arquitetura não é dentro, nem fora. É através

Parece um sonho

Um mini Inhotim particular, o jardim, assinado por Luiz Carlos e André Orsini, encanta e se harmoniza com as encostas florestadas

El Mai

Culinária contemporânea e comida japonesa: o alto padrão da cozinha está também na arquitetura de interiores assinada por Isabela Vecci

Arte que arde

Também na exposição em cartaz no BDMG Cultural, Desali e Affonso Uchôa contagiam a arte com a energia da periferia