Página virada

Histórias de um antigo apartamento ganham novos capítulos, adequados ao momento atual, em projeto de reforma assinada por Patrícia Paiva

Insta: PATRÍCIA PAIVA

Reformar um apartamento muitas vezes significa derrubar paredes para integrar ambientes e rever revestimentos desgastados pelo tempo ou mesmo que podem ser substituídos, sem que isso resulte em abrir mão de uma história que já faz parte daqueles ambientes.

Esse projeto, da arquiteta Patrícia Paiva, para um um apartamento de 167m2, anteriormente com quatro quartos, abre uma nova página em uma narrativa que inclui novos usos e um novo olhar, com uma proposta funcional e cheia de vida. Atualmente, ele é lar de uma única pessoa, uma mulher madura que adora cozinhar e agregar pessoas.

A localização também inspirou as alterações, já que ele está implantado em um dos bairros mais cosmopolitas de BH, a conhecida região da Savassi. A reforma radical ficou por conta da transformação que reduziu o número de quartos, ampliando a suíte que uniu dois deles, e integrando outro à área social, localizando o jantar.

O ar contemporâneo, sofisticado e singular tem tudo a ver com a moradora, que já colecionava peças de design e obras de arte. Já fazia parte de seu acervo a mesa de centro Noguchi, a mesa de jantar Saarinen e as cadeiras Bruno, a poltrona Eames Diamante e um banco artesanal, personalíssimo, e várias telas.

Para dar vida e um toque de ousadia, um tapete vermelho de 12m2 abraça toda a sala e ganha reforço de cor, com uma das paredes do jantar em azul profundo. Ponto para uma estudada cartela de tons que se une ainda ao aconchego da madeira, presente no piso e no ripado da parede onde se localiza um lavabo inspirador, vermelho na parte debaixo e rosa na faixa superior e no teto. O ritmo do ripado ganha continuidade fazendo ainda a lateral do armário da cozinha que camufla a louçaria, com portas em vidro canelado.

Na cozinha aberta, mais sutilezas, como o ladrilho hidráulico com desenhos geométricos que reveste uma das paredes e se harmoniza com o tom azul do jantar. Coesão, equilíbrio e cultura unem peças de design às vibrantes obras de arte que se destacam pelos ambientes.

Para a iluminação, foram programadas várias possibilidades de cenas. Os perfis, utilizados na parte onde havia uma laje, podem ser manipulados, transformando a luz geral em direta ou indireta. Há ainda alguns pontos de foco que foram direcionados para quadros e mesas de centro. Já na mesa de jantar, foram utilizadas bolas de luz dispostas de maneira a criar um movimento e quebrar a monotonia dos perfis lineares, dando continuidade ao movimento também existente nos ladrilhos da cozinha.

FOTOS – ESTÚDIO NY 18

DESTAQUES

Ouça nossas playlist em

LEIA MAIS

Atração e repulsa

Ruídos, exposição da artista Berna Reale, em cartaz no CCBB BH, apresenta um recorte da extensa produção da artista paraense

Muito além dos muros do museu

Série audiovisual Caminhadas, lançada recentemente pela Oficina Francisco Brennand é um convite para uma jornada pela de redescobertas e inspiração

Cheio de graça

Reforma de um apartamento no centro de Belo Horizonte apresenta soluções que conferem uma digital única a todos os ambientes

De bem com a vida

Projeto paisagístico de Flavia D’urso em propriedade no sul da Bahia respeita a natureza e cria um paraíso muito particular.

plugins premium WordPress