Colorido especial

Fachada do Museu de Arte e Ofícios ganha intervenção do arquiteto Silvio Todeschi para celebrar a Festa da República Italiana

Insta: Consulado da Italia em Belo HorizonteSilvio TodeschiCasacor MinasMuseu de Artes e Ofício

Verde, branco e vermelho. A fachada do Museu de Artes e Ofícios, localizado na Praça Rui Barbosa, mais conhecida como Praça da Estação, em Belo Horizonte está vestida com a bandeira da Itália e o motivo é muito especial. É uma das homenagens que o Consulado da Itália na capital, que tem à frente o Cônsul Dario Savarese, está fazendo para comemorar a Festa della Repubblica.

Vistas aéreas da instalação

A intervenção, assinada pelo arquiteto Silvio Todeschi, parte de estruturas infláveis e pode ser vista ao longo do dia, mas, em função da iluminação, o melhor período de apreciação é o noturno. “A nossa ideia nessa homenagem foi criar estruturas infláveis baseadas em fragmentos da bandeira italiana. Esses elementos coloridos interagem com o prédio, que foi projetado em 1922 pelo arquiteto italiano Luis Olivieri, de uma forma lúdica e, ao mesmo tempo, respeitosa”, comenta Todeschi.

A Festa della Repubblica é uma das mais importantes para os italianos. No dia dois de junho, de 1946, depois de 85 anos de monarquia, sendo 20 deles regidos sob a égide do fascismo, os italianos foram às urnas para escolher o modelo republicano como forma de governo. Nascia assim a República Italiana e, a partir de então, a comemoração marca esse dia emblemático com grandes manifestações populares.

“Junto a todo esse sentimento de incerteza e dor, percebemos, dia após dia, a crescente vontade de um novo início e de uma espécie de renascimento, como naquele em dois de junho de 1946, quando o povo italiano tomou nas mãos o próprio destino e instaurou as bases de uma República democrática e unida. É também uma ocasião para celebrar aquilo que mantém nosso país unido: um senso profundo de pátria e de unidade moral, civil e linguística, sempre respeitando as diversidades. Ideais profetizados pelo escritor, poeta e político Dante Alighieri, considerado o pai da nossa pátria por ter sido o primeiro e maior poeta da língua italiana”, destaca o Cônsul Dario Savarese.

Um pouco da história de BH

A criação da Praça da Estação coincide com a fundação de Belo Horizonte no final do século XIX. Antes mesmo da inauguração da capital, a região nas proximidades da Estação já apresentava quarteirões em formação, com restaurantes e edificações novas atraindo ao local um movimento regular de pessoas. E a Estação Central era, desde os tempos inaugurais da nova capital, uma importante referência urbana.

“Quando se fala que o coração de Belo Horizonte pulsa na praça da estação não é à toa. Foi aqui onde a sociedade mineira convergiu na época da criação da cidade. Com a chegada e a partida dos trens havia o movimento das pessoas e de todo o material e comércio que aqui chegava e daqui saía. Então a vida na praça da estação era intensa e este prédio foi construído nessa época, inspirado no neoclássico italiano, que florescia na Europa daquela época”, comenta Angela Gutierrez.

FOTOS CEDIDAS PELO MUSEU DE ARTES E OFÍCIO/CONSULADO DA ITÁLIA EM BELO HORIZONTE/LUISA JORDA

VÍDEO: NY18

PROGRAMA DO DIA

Ouça nossos podcasts para

Ouça nossas playlist em

LEIA MAIS

Sobre a mesa, o sonho

A experiência e as vivências de Ticha Ribeiro somam para que Ma Perle seja uma marca única de Table Couture

Realismo fantástico

Equilibrar razão e emoção em um ambiente encantador e também funcional? O projeto de Manoela Beneti é uma boa resposta