Ciranda original

Com projeto da arquiteta Ângela Roldão, Casa de Vidro permite um contato ainda maior com a natureza que a circunda

Insta: ÂNGELA ROLDÃO

Uma imagem, miragem de um desejo que demorou anos para se realizar junto a um universo cada vez mais raro, mas que ali, na região que faz parte do Parque do Rola Moça, persiste em todo esplendor: uma enorme área de reserva natural, tombada, cheia de rios, cachoeiras e trilhas. Por isso, a Casa de Vidro, projeto da arquiteta Angela Roldão, é daquelas que cativam o olhar de imediato.

A planta, sucinta, sem espaços perdidos, dá a impressão de uma construção muito maior do que realmente é. Foi pensada para seus usuários, que adotaram um estilo de vida minimalista e que queriam isso: não se pouparem das árvores e de toda a vegetação e fauna existentes ao seu redor. Ao contrário, queriam todo o verde da natureza o mais próximo possível.

Aparentemente é uma construção simples. Utiliza estrutura metálica, esquadrias de alumínio, vidros, fechamentos em concreto aparente, piso de tecnocimento e porcelanato nos banheiros. Também não precisou de um grande número de mão de obra, a equipe foi reduzida, assim como o tempo gasto para executá-la.

Mas chama a atenção a precisão do cálculo que viabilizou uma estrutura cheia de balanços que permitem uma leveza extremamente harmônica à construção e sua proposta.

Composta por dois módulos de 6m X 12m –  que é o tamanho máximo da barra de aço –  um módulo de 3m X 12m, além da varanda, a casa consegue unir à matemática que evita o desperdício de material, todo o encanto que faz parte de seu conjunto.

Situada em um condomínio fechado no distrito de Casa Branca, no município mineiro de Brumadinho, muito próximo a Belo Horizonte, onde também fica o Instituto Inhotim, a Casa de Vidro passa a sensação de que não são necessários os excessos para morar em harmonia com a natureza e desfrutá-la integralmente. Engenharia por WK Construções – Renato Pessoa –, paisagismo deMatos e Renault Paisagismo, projeto luminotécnico, Júnia Carsalade. Obras de arte: Amílcar de Castro, no hall, Fernando Lucchesi, no estar, Niura Bellavinha, no quarto, Daniel Mansur e Miguel Aun, na cozinha.

FOTOS: JOMAR BRAGANÇA

DESTAQUES

Ouça nossas playlist em

LEIA MAIS

Atração e repulsa

Ruídos, exposição da artista Berna Reale, em cartaz no CCBB BH, apresenta um recorte da extensa produção da artista paraense

Muito além dos muros do museu

Série audiovisual Caminhadas, lançada recentemente pela Oficina Francisco Brennand é um convite para uma jornada pela de redescobertas e inspiração

Cheio de graça

Reforma de um apartamento no centro de Belo Horizonte apresenta soluções que conferem uma digital única a todos os ambientes

De bem com a vida

Projeto paisagístico de Flavia D’urso em propriedade no sul da Bahia respeita a natureza e cria um paraíso muito particular.

plugins premium WordPress