Sons são

Radionovela Madê vai ao Chico estreia nas plataformas de streamig unindo literatura e encantamento nas margens do rio São Francisco

Insta: Radionovela Madê

O som está ligado. Cada um vê o que quer, porque a história acontece dentro, no palco criado internamente por cada um. É provável que se sintam cheiros, o roçar do vento, que se enxergue a cor e a textura da roupa dos personagens. Quem nunca passou por essa experiência? Bons contadores de casos conseguem exatamente essa proeza. A diferença com o livro, por exemplo, é que, aqui, você pode fechar os olhos e aguçar somente a audição.

Talvez por isso os podcasts ganhem cada vez mais público. A era da imagem onipresente tem saturado nossa visão e algo muito especial acontece quando, simplesmente de ouvidos abertos, as cenas vão se compondo. Essa mágica é possível principalmente nas radionovelas, produto que até bem pouco tempo poderia parecer reservado ao passado.

Escutei Perguntas para Madê, primeira temporada criada por Erika Rohlfs e Thiago Gazzinelli, ambos educadores e artistas do teatro e da música e me encantei. Não imaginava que isso iria acontecer, mesmo porque eu mesma participei como personagem. Mas aconteceu.

Por isso agora, com o lançamento de Madê Vai ao Chico, segunda temporada sugestivamente lançada hoje, dia quatro de outubro, data de aniversário do Rio São Francisco, me emociono novamente. Havia lido o roteiro previamente, novamente gravei (desta vez, apenas poucas falas), mas nada quebrou esse encantamento. É literatura de ouvido. É se sentir transportado com o estímulo dos sons, da trilha original, linda por sinal, para as margens do velho Chico.

Personagem principal, Madê tem cerca de 70 anos, idade aproximada à de Miss Marple, personagem da escritora Agatha Christie que inspira a atmosfera de suspense. Com ela é possível conhecer a cultura das comunidades barranqueiras, investigar o assoreamento dos rios e os desmatamentos, bem como os mistérios que rondam a percepção dos moradores em torno das histórias e vivências compartilhadas com o rio.


A temporada tem cinco episódios de 15 minutos cada. Como processo imersivo, Érika e Thiago realizaram um trabalho de campo nas cidades de São Francisco e Januária e no Vale do Peruaçu, em Minas Gerais. Passaram dias conversando com a comunidade, observando o cotidiano que se constrói às margens das águas doces e escutando o próprio rio. Histórias e culturas que rodeiam o Rio São Francisco criam momentos de fruição e também de reflexão.

Nesse trabalho in loco, a radionovela também ganhou personagens como Carluz, inspirado em Carlúcio, morador da cidade de Januária, pescador e poeta, conhecido como o maior inventor de histórias da região. Também a trilha sonora original foi inspirada nos sons produzidos pelo rio – reproduzidos a partir do violão – na música regional brasileira e em artistas locais e marginais.

Os criadores também realizaram uma intensa pesquisa de formato sobre rádio dramas, radionovelas, rádio séries, rádio teatro e também foram buscar inspirações na literatura de Murilo Rubião, Guimarães Rosa e Gabriel García Márquez. É desse caldo que Madê vai ao Chico chega ao público como um presente sensível, poético e sem perder a crítica social. “O trabalho com o som pode ser mais misterioso, dar margem a interpretações diversas, quase uma investigação com o ouvido. Ouvir uma voz contando uma história é uma experiência intimista e deliciosa”, comenta Thiago.

Mesmo com esse apelo direto ao sentido da audição, a dupla Thiago e Erika não se esqueceu de permitir à radionovela uma acessibilidade universal, já que ela também versão em Libras: tanto para incluir deficientes auditivos, quanto para difundir a linguagem brasileira de sinais para amplo público. Essa medida está também relacionada à educação inclusiva, algo com que Erika trabalha há alguns anos. A primeira temporada de “Perguntas para Madê” foi bem recebida pelo público, com episódios que atingiram mais de 1000 visualizações. E foi também consumida pelo público surdo, que compartilhou sua admiração ao poder acessar a obra em libras. 

LANÇAMENTO 2ª TEMPORADA DA RADIONOVELA “MADÊ VAI AO CHICO”

Dia 4 de outubro, às 18h, com acessibilidade em Libras
Spotify Made vai ao Chico

Episódio 2 – 7 de outubro

Episódio 3 – 11 de outubro

Episódio 4 – 14 de outubro

Episódio 5 – 18 de outubro

PROGRAMA DO DIA

Ouça nossos podcasts para

Ouça nossas playlist em

LEIA MAIS

Sobre a mesa, o sonho

A experiência e as vivências de Ticha Ribeiro somam para que Ma Perle seja uma marca única de Table Couture

Realismo fantástico

Equilibrar razão e emoção em um ambiente encantador e também funcional? O projeto de Manoela Beneti é uma boa resposta