Sonastério

União entre projeto arquitetônico, projeto acústico e equipe de gerenciamento de estúdio fazem jus ao nome de batismo dessa construção

Insta: SonastérioJoão Diniz

Quando o som e a paisagem se tornam irmãos em perfeita sintonia, algo mágico parece pertencer a esse lugar tão especial. É o caso desse estúdio no entorno Belo Horizonte, com foco principalmente na produção e gravação musical, que pode ser traduzido pelo nome que o batizou. Chama-se Sonastério. Com o slogan “A música Ilumina”, a equipe desse estúdio costuma receber nomes importantes do cenário nacional para a gravação de novos trabalhos como Milton Nascimento, Gal Costa, Ney Matogrosso, João Bosco, Skank e muitos outros.

Localizado em um condomínio, na região de Nova Lima, o projeto de arquitetura, assinado por João Diniz impressiona. Desde o início dos trabalhos, a equipe de Diniz trabalhou integrada à equipe de áudio-acústica, a fim de definir as proporções dos espaços destinados às performances e registros sonoros previamente, o que raramente ocorre em projetos dessa natureza, já que os estúdios, em sua maioria, são construídos em espaços já existentes. Com um notável portfólio ligados a espaços e tecnologias de áudio e acústica e na concepção de estúdios, teatros e auditórios em vários continentes, esse papel ficou a cargo da empresa WSDG, sediada nos EUA, mas com sede brasileira em Belo Horizonte.

Antes mesmo de falar do projeto em si, é importante destacar a beleza natural do entorno, um mar de montanhas característico da região. Na construção, várias soluções valorizam essa vista privilegiada, com enquadramentos e balanços sucessivos, propondo uma espécie de flutuação do prédio.

A presença da caída acentuada do terreno já sugeria que os espaços principais da construção estivessem voltados a esse panorama de orientação sudeste e articulado por um ágil sistema de circulação vertical. Essa geografia sugeriu também que o volume construído fosse implantado acompanhando a pendente do lote, diminuindo sua presença desde a via de acesso e se desenvolvendo de forma ligeira abaixo desse nível de visada pública.

Assim, ao nível da rua, por exemplo, há apenas um pórtico-garagem ligado ao hall de acesso que funciona como uma moldura que recorta a natureza. Além do pórtico de acesso que enquadra e coloca em destaque a paisagem, adotou-se a solução dos tetos-jardins nas coberturas, que funcionam como terraços e, se vistas por cima desde a via de acesso, minimizam o impacto do volume construído.

No pavimento abaixo ao hall de acesso ficam o estúdio e espaços de apoio, como sala de estar com varanda, cozinha e área de serviço. No nível mais inferior situa-se a parte de hospedagem com uma sala e duas suítes, o que dá ao edifício uma cara de casa, já que os músicos, em fase de gravação, podem se hospedar no local, distante dos ruídos da cidade. Esses níveis estão articulados por elevador e uma escada que perfaz um percurso panorâmico e tem um desenho que busca a leveza proporcionada pelas possibilidades plásticas da estrutura de concreto.

É bom ressaltar que a tecnologia do concreto aparente foi adotada no sentido de gerar um monolito quase mineral adequado aos resultados acústicos desejados. O projeto foi recebido com entusiasmo pela equipe internacional da WDSG sediada em Nova York através de diversos posts em redes sociais e da indicação como finalista para premio TEC Award 2019 em Los Angeles, por excelência em projetos acústicos diferenciados. O projeto também foi finalista no Prêmio Talento Estrutural 2018 pelo por sua estrutura em concreto protendido e ganhou o Prêmio Obra Construída 2018 do IABMG.

Além dos serviços de gravação de áudio e vídeo, a equipe do Sonastério criou no local a ‘Universidade do Áudio’ onde se promove periodicamente cursos e workshops ligados à gravação de CDs, mixagem, masterização e gerenciamento de carreira de artistas.

Em novembro de 2019 foi programada no local, a convite da equipe residente, o workshop ‘Arquitetura Expandida’ onde o arquiteto João Diniz falou sobre sua experiência na execução dessa obra e como a arquitetura pode se relacionar com outras linguagens artísticas envolvendo espaço, som, imagem, texto, através de suas observações e experiências profissionais acadêmicas e interdisciplinares.

Pequenos ajustes foram feitos após a conclusão das obras como a acesso às áreas externas do terreno através da escada lateral e a melhoria paisagística do lote, a fim de proporcionar a permanência contemplativa nas áreas externas do lote e sob os balanços da estrutura.

FOTOS: Jomar Bragança – Diego Ruahn

PROGRAMA DO DIA

Ouça nossos podcasts para

Ouça nossas playlist em

LEIA MAIS

O poder do essencial

Coletivo de mulheres mostra sua força em trabalho para o ambiente de Assis Ribeiro e Marcus Vinícius na CASACOR Minas

Casa com arte

Iniciativa da Bel Lar Casa Contemporânea leva obras de Israel Kislansky para espaço projetado por Patrícia Hermanny na CASACOR Minas

A harmonia do avesso

Sinuoso, moderno e imponente por fora, Edifício Niemeyer, por dentro, mostra projeto primoroso assinado por Sarah James e Felipe Soares