Do micro ao macro

Projeto de revitalização e modernização dos laboratórios da Natura traduzem grandiosidade da marca e também sua afinidade com a arquitetura

Insta: LOEBCAPOTE ARQUITETURA E URGANISMONATURA

Ver as instalações de uma conhecida empresa é sempre estimulante. Assinado por Roberto Loeb, da LoebCapote Arquitetura e Urbanismo, o complexo Natura Cajamar localizado no município a oeste de São Paulo, já apresentava imponência e encantamento. 22 anos depois, a revitalização de áreas sociais e pontos de encontro e a modernização dos laboratórios foram feitas a várias mãos: além de Loeb e de seu sócio Luis Capote, ganhou como aliados, os profissionais do escritório Chantal Longo e Damiano Leite.

Tudo encanta. Já no pavimento térreo, de entrada a partir do estacionamento de veículos, o projeto de revitalização teve o objetivo de mudar a forma de acolhimento do visitante que tem, ali, sua primeira experiência com a marca. Pensando nisso, foi criada uma galeria de produtos, com uma grande vitrine curva de vidro, espécie de instalação escultórica criada pelo artista Renato Dib e protagonizada por frascos de produtos da Natura, e do Jardim das Rochas, escultura circular de autoria da artista Denise Milan.

Na recepção, uma passarela de acesso ao bloco de Desenvolvimento e Pesquisa a desemboca em um grande átrio de concreto, coberto, mas sem fechamentos laterais. É aí o ponto de encontro e descanso dos funcionários daquele setor do campus. O projeto de revitalização abarcou também esse núcleo vertical nas áreas de entrada e permanência da recepção, um volume de forma orgânica com 15 metros de altura.

De baixo para cima, o piso da recepção rente ao chão tem, de um lado, um jardim circular iluminado por claraboia no alto e, do outro, uma sala igualmente redonda que abriga biblioteca e centro de memória, dotado de excelência acústica e a imponência do pé-direito duplo deu mais imponência à sala.

 A área livre do pavimento foi transformada em zona para trabalho colaborativo, sistematizando com conforto a tendência dos usuários de usarem as áreas abertas – como o vizinho Pátio das Jabuticabeiras – como local de trabalho.

No primeiro andar manteve-se a área de escritório e, no segundo, foram realocados e revitalizados o pequeno salão de beleza, as cabines olfativas e a área com chuveiros para as equipes de cocriação além de ter sido incorporado ao espaço um laboratório de embalagens.


Distribuídos em quatro pavimentos de um dos dois edifícios do bloco de Desenvolvimento e Pesquisa, os laboratórios da Natura Cajamar expressam o mesmo espírito da empresa, de contato com a natureza. Eles são ladeados pela fachada envidraçada por onde se vê a vegetação ao redor. O projeto atual abriu totalmente a face junto ao passadiço transparente que conduz à fábrica.

Como era necessário atualizar equipamentos e processos, flexibilizar os layouts e aumentar a área, sem interromper o trabalho cotidiano, uma torre automatizada foi acoplada na parte externa do edifício existente, servindo de grande elevador, acessível dentro dos pavimentos.

  Nos laboratórios, mobiliário com sistema de rodízio para permitir o rápido reposicionamento das bancadas, equipamentos e demais móveis especiais. Torres sobre rodas possibilitam a conexão de energia e dados em qualquer ponto do ambiente.

FOTOS – NELSON KON

DESTAQUES

Ouça nossas playlist em

LEIA MAIS

Atração e repulsa

Ruídos, exposição da artista Berna Reale, em cartaz no CCBB BH, apresenta um recorte da extensa produção da artista paraense

Muito além dos muros do museu

Série audiovisual Caminhadas, lançada recentemente pela Oficina Francisco Brennand é um convite para uma jornada pela de redescobertas e inspiração

Cheio de graça

Reforma de um apartamento no centro de Belo Horizonte apresenta soluções que conferem uma digital única a todos os ambientes

De bem com a vida

Projeto paisagístico de Flavia D’urso em propriedade no sul da Bahia respeita a natureza e cria um paraíso muito particular.

plugins premium WordPress