De volta ao mundo real

Sem abrir mão do digital, Galeria Murilo Castro inaugura novo endereço. Afinal, nas artes visuais principalmente, nada substitui o presencial

Insta: Galeria Murilo Castro

Se respondesse os primeiros versos da letra Começar de Novo, de Ivan Lins, que sugere logo no início a pergunta, “vai valer a pena ter amanhecido?”, Murilo Castro, colecionador há mais de 30 anos e há muitos à frente da galeria de arte contemporânea que leva seu nome, certamente diria um sonoro sim. O verbo começar deve ser, de longe, a palavra mais presente em tudo, mesmo tudo, pois tudo começa para existir.

Por isso, o novo endereço da Galeria Murilo Castro não deixa de ser um começo, como tantos outros, apesar de ter 17 anos de vida. No final 2019, por exemplo, Murilo entendeu que não dava para apostar só no presencial e entrou fundo no processo digital, preparando a loja virtual da galeria, apresentada em março de 2020, uma data que não perdoa esquecimentos. No Brasil, foi quando estourou a pandemia. “Quando tudo aconteceu, já estávamos preparados e pudemos reforçar nossa presença com as lives que realizamos”, lembra Murilo. Foram mais de 50, com temas variados e público cativo. A galeria também não abriu mão de participar da SP Art e da Art Rio, obtendo, inclusive, resultados muito bons no online.

Se no ano passado o home-office funcionou, oferecendo um resultado interessante em relação a novos clientes, a hora de ‘começar de novo’, no plano físico, chegou. “O digital nos abriu novos compradores que não estavam acostumados a ir a uma galeria, seja pela distância ou por constrangimento. Hoje eles não só vão, como se sentem muito mais à vontade. A relação ficou mais próxima. O digital complementa, mas nada substitui a presença”, comenta Murilo.

A reforma para abrigar o novo endereço iniciou em janeiro, em uma loja de primeira instalação. São 320 m2 em duas salas de exposição, ambas com pé direito generoso, localizadas no bairro Santa Lúcia, zona sul de Belo Horizonte, região que tem atraído lojas de grifes, algumas delas destinadas à arquitetura de interiores. Na galeria, o acervo também foi pensado para ficar fácil de ser acessado. Além do que está exposto, ele conta com aproximadamente 400 obras que podem ser vistas sem dificuldade, em um local tranquilo, novo, com estacionamento.

“Arte depende muito da sedução com a peça, do sentimento e da relação que você estabelece com ela. Ficou evidente que isso é fundamental e, ao mesmo tempo, que um canal digital também serve como forte alavanca nesse processo”. Murilo fala ainda sobre o momento de pouca definição do que fazer, de como atuar para não ser inconveniente. “Estamos recebendo poucas pessoas de cada vez, mas vamos voltar com o ciclo de palestras, no momento de forma fechada, para 12 convidados”. A primeira delas acontece no próximo sábado, e ganhou o nome de “Degustando a Arte Contemporânea”. Em formato workshop, o que se pretende é mostrar que a obra de arte contemporânea não é só contemplação, exige participação do público.

Sobre a nova fase, de volta ao mundo real, Murilo parece mesmo em um novo começo: “Achei que não iria trabalhar todos os dias, mas estou adorando”. Depois da experiência do home-office, uma coisa ele não abre mão mais: ao chegar à galeria, tira os sapatos e trabalha confortavelmente de pantufas.

Serviço: Galeria Murilo Castro – Rua Saturno, 10 – Santa Lúcia
CEP 30360-560 – Belo Horizonte – MG

Tel.: +55 (31) 3287-0110

murilocastro.com.br


FOTOS GENTILMENTE CEDIDAS PELA GALERIA

DESTAQUES

Ouça nossas playlist em

LEIA MAIS

Mistura Fina

Projeto do escritório Casa Tereze para apartamento em São Conrado, no Rio, une a bossa carioca com a alma mineira

Arte entre muitas camadas

Ana Claudia Almeida impacta tanto com a solidez quanto fluidez de seus trabalhos, sucesso em galerias brasileiras e no exterior

Presente imperativo

A demanda de construir uma casa em tempo mínimo não impediu ao escritório Bloco Arquitetos, de Brasília, de superar expectativas

plugins premium WordPress