Bagueri: pão, vinho e muito charme

Atualmente com dois pontos abertos em BH, padaria tem projeto da arquiteta Isabela Vecci, que lhe confere ares de exclusividade

Insta: BagueriIsabela VecciGreco DesignMarcus Paschoalin

O empresário Felipe Santiago, dono de uma cadeia de restaurantes em Belo Horizonte resolveu transformar em realidade algo que já pensava fazer há mais de um ano. Com a pandemia, o projeto foi formatado e batizado. Chama-se Bagueri (veja a explicação do nome no final da matéria), a rede de padarias que começou a enfeitar Belo Horizonte, primeiro no bairro de Lourdes, aberta em janeiro deste ano e depois no Belvedere, inaugurada no mês passado. Há planos para outros pontos, mas o projeto aguarda os sinais positivos do distanciamento social.

De um lado, pães artesanais fresquinhos da Casa Bonomi, do outro, os rótulos exclusivos dos vinhos da importadora Decanter. As lojas Bagueri são espaços alegres, cheios de vida e de cores, com projeto assinado pela arquiteta Isabela Vecci, identidade visual da Greco Design e ainda um toque de street art do artista Marcus Paschoalin. Ou seja, um time de peso reunido em um projeto de uma padaria que quer fazer o caminho contrário ao usual, já que grande parte das padarias, hoje, vende de tudo, “inclusive pão”.

 “Eu Já vinha tentando convencer a Paula Bonomi de que os pães dela precisavam estar próximos das pessoas”, comenta Felipe. Paula é a proprietária da Casa Bonomi, que encanta não só pelas prateleiras abarrotadas de pães e outras delícias capazes de fazer qualquer um mandar o regime às favas, como pela casa em que está instalada desde 1997: um imóvel tombado de 1902, com apurado projeto de interiores.

“No meio da pandemia deu para entender que as pessoas, ao saírem de casa, queriam utilizar os serviços mais próximos e por isso estamos investindo em vários pontos. Na Bagueri não tem pão francês, nem pão de queijo, mas os pães artesanais da Paula”, ressalta Felipe. E, para que não haja dúvidas de que são os mesmíssimos pães da Casa Bonomi, a produção continua a cargo dela e, por isso, o investimento maior se concentra na logística: as fornadas da Bonomi abasteçam as lojas praticamente na hora em que ficam prontas.

Cheia de personalidade

O projeto de arquitetura e identidade visual propõe ao ambiente ares de lugar exclusivo. “Como esses pontos vendem pães da Bonomi e vinhos da Decanter, duas marcas muito conhecidas, nos preocupamos em descolar a imagem da Bagueri para que ela fosse, de fato, vista como um novo negócio”, explica a arquiteta Isabela Vecci. As lojas são pequenas, variando de 40 a 60 m2, e a arquiteta optou por trabalhar mais as superfícies. É o caso do piso em ladrilho hidráulico, que ganhou leitura contemporânea, fazendo uma alegre composição gráfica de listras.

Na primeira Bagueri, a do bairro de Lourdes, a fachada cega ganhou ares de street art, com trabalho assinado pelo artista Marcos Paschoalin. “É para deixar claro que chegamos!”, entusiasma-se Felipe. Na unidade do Belvedere e também nas próximas a serem inauguradas, a arte de Paschoalin também marcar presença, dialogando com a identidade da marca, que utiliza as cores verde escuro, vermelho escuro, amarelo, branco e preto. Já os expositores e balcões foram otimizados ao máximo, apresentando o produto de forma coerente para o público: de um lado oferecem os pães e, do outro, os vinhos. Pão e vinho da melhor qualidade, com charme e um frescor que a cidade agradece.

Curiosidade sobre o nome

Pedimos à Greco Design para nos explicar de onde vem o nome Bagueri, que se pronuncia Baguéri. A resposta dada pela agência foi a seguinte: a cultura da panificação é tão antiga na nossa história que, desde os tempos dos romanos, a casa do pão é um lugar essencial e presente em qualquer cidade, reconhecido por sua importância na organização social. A construção do nome Bagueri surge como um neologismo inspirado nas palavras Bageri – que significa casa do pão nas línguas nórdicas e Baguete – produto incorporado à nossa rotina, parte de qualquer mesa de café, por mais tradicional e mineira que seja.

Fotos: Jomar Bragança

DESTAQUES

Ouça nossas playlist em

LEIA MAIS

Atração e repulsa

Ruídos, exposição da artista Berna Reale, em cartaz no CCBB BH, apresenta um recorte da extensa produção da artista paraense

Muito além dos muros do museu

Série audiovisual Caminhadas, lançada recentemente pela Oficina Francisco Brennand é um convite para uma jornada pela de redescobertas e inspiração

Cheio de graça

Reforma de um apartamento no centro de Belo Horizonte apresenta soluções que conferem uma digital única a todos os ambientes

De bem com a vida

Projeto paisagístico de Flavia D’urso em propriedade no sul da Bahia respeita a natureza e cria um paraíso muito particular.

plugins premium WordPress