Até onde a vista alcança

Como tapeçarias pintadas à mão, sob efeito de ondas, luz e tempo, a pintura de Sandra Mazzini arrebata e surpreende

Insta: SANDRA MAZZINIJANAINA TORRES GALERIA

Repare bem nas imagens que você vê nesse post. E, se possível, busque pelo nome de Sandra Mazzini – uma das mais surpreendentes jovens artistas do século XXI –  para conhecer outras muitas assinadas por ela.

Se possível, conheça-as de perto, ao vivo. A artista, que nasceu em São Paulo em 1990, onde vive e trabalha, consegue trazer o espectador para dentro de seu processo e propõe uma realidade alterada por meio da estrutura, da escala, do recorte e da gradação de cores, visíveis em suas telas.

Diferente da música Varanda Suspensa, da cantora Céu, aqui não é descansar a vista, mas instigar a vista, até onde a vista alcança, de uma zona temperada, até onde o sonho te leva.

Um trabalho que mistura rigor e espontaneidade em pinturas exuberantes que ativam a visão de quem o observa. Pesquisas na web servem para a artista como “natureza”. Mazzini reúne registros originais, que se somam a resíduos de imagens resgatadas de sua memória afetiva.
O resultado são telas que reproduzem uma certa fragmentação contemporânea e a geometria cibernética dos pixels.

Imagens que são construídas e reconstruídas em múltiplos detalhes, em uma obra que cuida de cada retângulo como uma tela em si – pinturas dentro da pintura, aproximando-se, em certos momentos, da abstração, formando paisagens complexas e fascinantes.

Como diz o texto da artista Leda Catunda, uma das expoentes da Geração 89,  o trabalho de Sandra Mazzini, “trata-se de uma realidade em via de transmutação, como se a artista propusesse uma visão poderosa, alterando o real para em seguida reapresentá-lo repleto de nuances particulares e vibrações improváveis.”

“Na pintura de Sandra Mazzini, as imagens que são utilizadas, são processadas e reprocessadas digitalmente, são retrabalhadas manualmente de modo a exigir um olhar ativo, um olhar construído obrigando o observador a produzir e reconstruir as imagens propostas nas telas”, também observa o artista e professor Sérgio Romagnolo.

Sua obra consegue reunir contrastes. “Nela se integram técnicas do passado e do presente, em desafiadora harmonia. Recursos digitais se mesclam à uma apurada técnica de pintura, a figuração se ancora na abstração e a precisão alimenta o gesto largo” , escreveu Denise Mattar, atualmente uma das mais importantes curadoras de artes plásticas do Brasil.

Exposição no Farol Santander, São Paulo, 2022. Narração da curadora Denise Mattar.

Também é de sua autoria o trecho a seguir, sobre a arte de Sandra Mazzini: “Seu trabalho borra as categorias tradicionais de pintura, fotografia e desenho, e se reveste de indiscutível contemporaneidade, imersa numa visão idílica da nossa natureza exuberante. Ao mesmo tempo cada trabalho é permeado por um pulsar constante, por uma vibração que extrapola a paisagem nele representada. O trabalho de Sandra Mazini proporciona uma visão luminosa das possibilidades do futuro, um bálsamo para o tempo ardido que vivemos.”

FOTOS GENTILMENTE CEDIDAS PELA ARTISTA

DESTAQUES

Ouça nossas playlist em

LEIA MAIS

Mistura Fina

Projeto do escritório Casa Tereze para apartamento em São Conrado, no Rio, une a bossa carioca com a alma mineira

Arte entre muitas camadas

Ana Claudia Almeida impacta tanto com a solidez quanto fluidez de seus trabalhos, sucesso em galerias brasileiras e no exterior

Presente imperativo

A demanda de construir uma casa em tempo mínimo não impediu ao escritório Bloco Arquitetos, de Brasília, de superar expectativas

plugins premium WordPress